Bebês reais, lojas virtuais – Parte 1: Prepare-se!

27 jan

Quando se fala em enxoval de bebê, as mães se enlouquecem – e as avós e as titias e todos aqueles que babam por bebês, também. Porém, de enlouquecer são as minúcias que se apresentam à medida que se avança no processo de “Montar um bom enxoval“.

Aliás, o que vem a ser um bom enxoval?

Na foto, o enxoval inicial do meu bebê qdo nem se sabia o sexo

Defino aqui como um bom enxoval aquele que 

supre as necessidades do bebê,

agrada o gosto da mamãe

e não leva a família à falência!

E o gosto dessa mãe fica bem agradado com coisas de gatinhos!

—————————————-

Para as mães de primeira viagem, definir o que compõe um enxoval não é algo tão simples assim. Alguns sites oferecem listas prontas – algumas são um tanto exageradas, mas outras, bem realistas:

  • Três listas básicas, da Revista Crescer. O que é:

 1. Essencial, 2. Opcional e 3. Desnecessário

—————————————-

DICA: mantenha uma lista atualizada daquilo que você já comprou e ganhou e do que ainda falta! Assim, quando alguém quiser uma dica de como presentear o bebê, você saberá o que realmente precisa. Além disso, evitará gastos desnecessários ao ir às compras ;]

Um clássico: sapatinhos de lã! Lindos, mas só úteis no inverno

—————————————-

Quando se vive numa cidadezinha [seja ela pequena ou grande, mas com ‘Síndrome de Peter Pan’, como é o caso da ‘minha’], bater perna em lojas infantis significa visitar todas as 4 ou 5 que a cidade oferece, quando muito! Santa internet que nos permite viajar o mundo sem tirar a bunda da cadeira – o que se torna extremamente útil quando se está grávida, é verão e ninguém está [com paciência] disponível para te acompanhar às compras.

Além disso, visitar vitrines virtuais tem as suas vantagens – vamos aos prós:

  • Você descobre tudo o que tem em estoque, sem precisar pedir ajuda
  • Ninguém vai ficar de olho grande para o que você ‘tem na mão’ – ainda que seja o último dos mais desejados itens!
  • Não é preciso aturar vendedores chatos que ficam querendo empurrar produtos encalhados!
  • Pode demorar o quanto quiser, vasculhar o quanto der vontade, botar e tirar produtos do carrinho e até deixar tudo lá, sem ser criticada por olhares entediados.
  • As transações financeiras são rápidas, desde que você tenha tudo em mãos na hora de efetuar a compra, é claro.
  • Você pode ir sozinha, a qualquer hora, sem enfrentar o calor ou outras intempéries como distância e pés inchados.
  • E, o melhor: não tem fila!!! Até porque, fila preferencial numa loja que tem gestantes como as principais clientes, seria até piada!

DICA: antes de se jogar numa grande compra on-line, faça um teste - uma compra pequena - e avalie o prazo de entrega, a qualidade do produto e a seriedade da empresa

—————————————-

Pois bem, uma vez convencida e devidamente preparada para começar o bate pernas virtual, vamos aos pormenores – os contras:

  • Navegação: alguns sites são muito pesados, demoram a carregar… Outros são mal formulados, dificultando a busca ou abrindo 10 mil abas que mais atrapalham que ajudam – e tudo isso é extremante entediante!
  • Formas de pagamento: aconselho que seja esta a primeira coisa averiguada ao se chegar numa loja – virtual ou não. Assim, você não corre o risco de perder seu precioso tempo e ‘voltar’ frustrada.
  • Imagens enganosas: muita atenção quanto a isso – leia sempre a descrição do produto! Material, tamanho, cor disponível! Algumas fotos usadas são meramente ilustrativas.
  • O problema dos tamanhos – esse é tão sério que merece uma atenção especial:

Infelizmente, nem todas as lojas virtuais oferecem informações detalhadas quanto ao tamanho dos modelos e, mais até que de adultos,  roupas de bebês apresentam uma diferença considerável de tamanho da numeração de uma marca para a outra, até porque 1 cm significa muito num macacão que tem só meia dúzia deles.  Os famosos RN, P [até 3 meses], M [até 6m], G [até 9m] e assim por diante, são apresentados nas mais absurdas variações de tamanho!

O ideal é a tabela que apresenta, em centímetros, a medida corresponde a cada etiqueta. Lojas que trabalham com diversas marcas não têm como padronizar uma tabela única – você pode procurar informações mais detalhadas no site da marca em questão –  agora, encontrar tais informações, são outros 500. Exemplos da tal tabela orientativa de tamanhos:

Tabela de tamanhos da marca Be Little Moda Bebê

Outro bom exemplo está disponível na Bebê Encantado: confira!

Tabela de tamanhos para produtos importados - fonte: Mamuskas

—————————————-

NOTA: não creio que valha a pena investir muito em roupas tamanho RN e P [03], por mais graciosas que sejam, [exceto, é claro, na primeira roupinha e na saída da maternidade, afinal, o recém-chegado ao mundo merece uma recepção que lhe caiba bem – e não gosto de bebês em roupas enormes]. Essas primeiras roupinhas quase não serão usadas, já que o bebê cresce muito rápido nos primeiros meses. Já as M [06], sim, compensam um investimento maior!

Na dúvida, não deixe de usar o ‘Fale conosco’ presente em todo bom site de vendas!

—————————————-

Ju Blasina

No próximo post, vamos às compras sem sair do lugar: Dicas -e avaliação- de lojas virtuais!

Não perca!

Anúncios

4 Respostas to “Bebês reais, lojas virtuais – Parte 1: Prepare-se!”

  1. Carine 27 de janeiro de 2012 às 5:53 PM #

    Ju, adorei o post!!!
    Eu simplesmente amoooo garimpar esses sites, já visitei uma infinidade deles, já comprei algumas coisinhas pro meu baby tbm =)
    Os mais interessantes tenho colocado nos meus “favoritos” para não perder de vista!!!

    Bjuuuu

    • Ju Blasina 27 de janeiro de 2012 às 7:50 PM #

      Então tb vais gostar do próximo Post! E se quiseres trocar figurinhas, compartilhando tuas experiências com os sites de compras e sugerindo algum da tua lista que não esteja na minha, será ótimo!

      Bjus

Trackbacks/Pingbacks

  1. Bebês reais, lojas virtuais – Parte 3: As mais mais! « andoGESTando - 30 de janeiro de 2012

    […] vez comprado tudo o que se precisa, vale a pena eleger a dedo um ou outro item para dar mais personalidade ao enxoval porque […]

  2. Bebês reais, lojas virtuais – Parte 2: Dicas de lojas « andoGESTando - 30 de janeiro de 2012

    […] o que eu digo, mas… Lembram qdo alertei sobre imagens enganosas/ilustrativas, na primeira dessa série de posts, e aconselhei a ler sempre as letras miúdas da descrição do produto??? Pois bem, dessa vez, […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: