Coisas de bebê: segurança vem de berço, beleza vende berço!

28 mar

Depois da saga do carrinho de bebê, chega a hora de enfrentarmos um novo desafio: a escolha do berço!

E se você pensa que um berço é simplesmente uma cama pequena envolta por grades, engana-se! O assunto é um tanto mais complexo

Não querendo ‘tocar o terror’, mas vale lembrar que estamos falando do móvel que abrigará o seu bebê durante madrugadas inteiras nas quais muitos serão os momentos sem qualquer vigília - a menos que você pretenda abolir o próprio sono e virar uma mãe-zumbi [há algumas por aí, você as reconhece pelas olheiras profundas, o passo arrastado e o senso de humor ausente] – por isso, todo cuidado é pouco na hora de escolher o berço!

Eis algumas dicas do que se deve atentar na hora da escolha:

Antes de qualquer coisa, MEÇA o espaço onde tudo deve [e precisa!] caber e faça uma pesquisa minunciosa de preços – dentro e fora da web - pois eles variam e MUITO, tanto quanto os modelos.

Os diferentes designes que o mercado oferece são encantadoramente enlouquecedores, porém, quando o assunto é berço (ou não), aparência não reflete qualidade

Comprando o berçono que atentar:

  • Tamanho [adequado ao seu espaço disponível]: o padrão mais comum é o ‘berço americano, medindo 1,30 m de comprimento por 70 cm de largura. Mas atenção: essa é a medida interna do berço e serve de referência para o colchão. Com a parte externa, o móvel pode ultrapassar o 1,50 m por 80 cm. Uma opção para quem tem pouco espaço é o berço nacional, ligeiramente mais curto [medida interna: 1,30 m por 60 cm].
  • Grade móvel: algo que, na minha opinião, todos os berços deveriam ter, mas não têm. Facilita e muito a lida com o bebê, especialmente quando ele estiver dormindo – e, aliado a presença de rodinhas, pode-se aproximar o berço da cama e cuidar o pequeno bem de pertinho nas primeiras noites! Porém, é preciso ATENÇÃO:
    • O sistema de deslizamento deve ser protegido por duas travas separadas, para que, qdo maiorzinho, o bebê não a baixe sozinho.
    • Distância entre as barras verticais: deve ser pequena para evitar que a criança caia ou que enfie a sua cabeça entre os vãos. O adequado é que tenha no mínimo 4,5 cm e no máximo 6,5 cm. Pela mesma razão, se alguma das partes do berço for feita de tela, os buraquinhos dessa têm que ter no máximo 7 mm de diâmetro.
  • Rodinhas [ou rodízios]: se o berço as tiver [e é bom que sim, pois vc pode querer aproximá-lo da sua cama ou mesmo 'levá-lo de arrasto' pela casa], pelo menos duas delas têm que ser fixáveis por meio de travas.
  • Cabeceira: dê preferências àqueles que possuem cabeceira composta de uma única peça – uma amiga me deu essa sugestão dizendo que cabeceiras feitas de duas os mais partes encaixáveis podem ser… desencaixadas, ou mesmo quebradas, qdo o bebê tem força suficiente para isso [o filhote dela testou e reprovou o primeiro berço - teve que ocupar um novo antes de completar um ano].
  • Estrado regulável: Alguns berços oferecem a regulagem do estrado em diferentes níveis [3 ou 4]. Qual a utilidade disso? Inicialmente, manter o estrado mais alto facilita a lida com o recém-nascido sem a necessidade de se curvar demais – mães que passaram por cesárea e avós com problema de coluna, agradecem! Porém, a altura do estrado deve ser regulada de acordo com o crescimento da criança, [tornando o berço mais seguro contra quedas e fugas!] – segundo a ONG Criança Segura, a distância entre o estrado e a lateral do berço tem de ser, no mínimo, 60 centímetros.

———————————————————————

Outras medidas de segurança:

  • Grade lateral do berço: deve ter espaçamento de no máx. 6 cm entre as madeiras, para evitar que o bebê coloque a cabeça no vão.
  • O Inmetro determina ainda que entre o estrado e as laterais do berço a distância não ultrapasse 2,5 cm.
  • Sistema antirrefluxo: possibilidade de criar uma pequena inclinação da cabeceira [associado à regulação do estrado]. Não é indispensável, pois há travesseiros avulsos que podem ser comprados com esse objeto. E dizem que, se preciso for, uma toalha dobrada sob o colchão tem o mesmo efeito.
  • Onde pôr o berço? Por uma questão de segurança óbvia, não é aconselhável posicionar o móvel perto de janelas. Ainda que grades e telas evitem acidentes físicos, correntes de vento diretas sobre o bebês tb representam um perigo que se pode – e deve – evitar.

———————————————————————

O que pôr no berço?

Além do principal: o bebê, é claro!

- O Colchão: Não basta ser pequeno, tem que acomodar! 

O colchão do berço deve ser firme, mas nem tanto – a densidade recomendada para bebês e crianças de até 3 anos é a D18, embora a mais comum de se encontrar por aí seja a D23, que serve para pessoas de até 50kg e é dura demais para a coluna do bebê!

Nota: Algumas lojas oferecem o combo “berço+colchão” – o que pode parecer bom pela economia, mas… se a densidade não for adequada, não compensa [verifique se há opções ou peça desconto e compre o colchão separado].

O que mais deve ser observado no colchão do berço?

  • Material anti-ácaro, anti-alérgico, anti-mofo [atente, mas relaxe: a maioria dos colchões de berço são assim].
  • Face plastificada: ao menos uma, para proteger o tecido de possíveis vazamento de fralda ou vômitos [e nesse caso, limpe e ponha para arejar]. Outra opção é comprar avulso um protetor impermeável de colchão.
  • Tamanho adequado: lembre-se de comprar o colchão conforme o tamanho do berço [Padrão Americano 130 x 70 ou Nacional 130 x 60 - o mesmo vale para os lençóis]. Com o colchão já no berço, veja se não sobra espaço nas laterais – dois dedos entre o colchão e a lateral do berço já é sinal de perigo [partes do bebê podem ficar presas ali].

- Mosquiteiro e protetores de berço: Aliados ou Arriscados?

  • Desde que seja mantido limpo, o mosqueteiro continua sendo útil na proteção dos recém-nascidos [a menos que sua casa seja liver -de forma segura- de mosquitos e outros insetos]. Porém, assim que o bebê se torna grande o suficiente para puxar a tela, é hora de retira-la! Telas contra mosquitos nas janelas são uma alternativa!
  • Já os protetores de berço que, além de lindos, evitam que o bebê bata a cabeça e outras partes [alguns tem sonos bem agitados], têm se tornado motivo de polêmica:

Segundo a ONG Criança Segura, o enfeite é perigoso, pois pode causar sufocamento – da mesma forma que qualquer almofada, protetor, travesseiro ou bichinho de pelúcia. Em outras palavras, para evitar o risco de morte por asfixia, o berço deve ficar livre de qualquer parafernália. Além disso, assim que começa a ficar em pé, a criança pode usar o protetor como degrau para pular do berço – caso a altura do estrado assim permita.

Cuidado para não fazer do protetor um inimigo - use o bom senso!

Agora, se ainda assim você decidir dar uma chance ao Protetor:

  • escolha um modelo simples, sem exageros [especialmente de detalhes e volume das almofadas]
  • seja cautelosa com a limpeza dele
  • e garanta que esteja sempre bem preso ao berço.

———————————————————————

Adicionais e Opcionais

  • Vira mini-cama: existem berços nos quais, além do estrado ter regulagem de nível e da grade ser móvel, a grade pode ser removida transformando o berço numa caminha que pode acomodar a criança nos primeiros anos de vida [embora nada impeça que elas continuem dormindo no berço normal, enquanto nele couberem].
  • Há ainda os desmontáveis para viagem, os com tela inteiriça no lugar da tradicional grade de pinos de madeira [ver foto no início deste post] , os que possuem itens acoplados como cômoda, trocador, gaveteiro… acessórios úteis conforme o gosto e a necessidade ‘do freguês’.
    • Nota: sobre a segurança dos berços desmontáveis, vale dizer que o Inmetro não os certificou e nem redigiu regulamentação a respeito. Eu, particularmente, não vou muito com a cara deles…

Prefiro então um belo moisés de vime!

———————————————————————

No próximo post – ainda sobre berços e quarto do bebê:

Dicas de lojas virtuais onde comprar [ou, no mínimo, navegar e namorar as vitrines ;]

Até lá!

Ju Blasina

About these ads

4 Respostas para “Coisas de bebê: segurança vem de berço, beleza vende berço!”

  1. Isabella Colli 19 de setembro de 2012 às 11:27 AM #

    Olá,

    Você tem algum e-mail para contato?

    Obrigada

  2. Natália P Santos 8 de janeiro de 2013 às 10:18 AM #

    Olá! Muito importante pensar antes na segurança que na beleza. Tudo de bom seu artigo!

Trackbacks/Pingbacks

  1. SEGURANÇA VEM DE BERÇO | Enciclopédia do Bebê - 30 de março de 2013

    [...] Coisas de bebê: segurança vem de berço, beleza vende berço! [...]

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 351 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: